Achados do Gambiarras

Em alguns Achados do Gambiarras anteriores tentei trazer um site informativo sobre pedais da Boss que era um dos mais completos que eu conhecia. O Boss Area. Tentei muitas vezes entrar no site e nada. Até que descobri que o site foi desativado. Lá existia uma lista completa com praticamente todos os modelos de pedais da Boss e em cada um informações históricas e técnicas, além de fotos e detalhes sobre versões. Era o paraíso para quem queria saber tudo sobre um pedal da Boss. Do seu consumo de corrente até descobrir a data de fabricação a partir do Serial. Infelizmente o site acabou. Mas algumas almas caridosas se uniram e criaram algo ainda mais legal, o StompBoxZone. Um site baseado no Wikipedia para catalogar pedais de várias marcas. Conseguiram restaurar o conteúdo do falecido “Boss Area” e ainda adicionaram pedais de outras marcas como MXR e EH. Se a galera abraçar a causa e contribuir, este pode vir a ser o maior portal “wiki” de pedais do mundo e ajudar milhões de guitarristas. Além da parte “wiki” o domínio possui um forum super completo sobre pedais, amps e guitarras. Vale conferir!

logo

Achados do Gambiarras

Neste mês atendendo aos pedidos dos leitores resolvi publicar alguns links interessantes para quem gosta do universo da eletrônica. Os maiores pedidos foram para projetos de fontes de alimentação para pedais e começo com este projeto que já comentei em outra oportunidade aqui no blog:

http://pisotones.com/Alimentacion/MBC/Fuente-9V.htm

Além do artigo sobre a fonte recomendo ler com calma todo o site, pois tem um conteúdo muito completo e com várias dicas e pequenos truques de eletrônica.

http://tonepad.com/

Durante anos foi um dos principais sites com projetos de pedais com desenho de placa e tudo mais. Continua uma opção muito boa, mas o site já não é mais atualizado com a mesma frequência de outros tempos.

http://www.muzique.com/

Ótimo blog/site com projetos pequenos muito úteis e bem desenhados para guitarristas. Além dos projetos o site vende as placas e também apresenta um conteúdo didático bem legal.

http://www.runoffgroove.com/

Página antiga com diversos projetos próprios, entre eles o Fetzer Valve que já montei inúmeras vezes e recomendo.

http://www.ax84.com/

Para quem se interessa por amplificadores valvulados, esta é uma cooperativa onde amantes da arte desenvolvem amplificadores de guitarra em conjunto. Do site já montei o amplificador P1 e o Hi-Octane, ambos maravilhosos.

http://singlecoil.com/

Mais um espaço com truques e dicas para você dar um up no seu som.

http://www.diystompboxes.com

E para finalizar, um dos maiores e mais antigos fóruns sobre eletrônica voltado para o mundo guitarrístico. O acervo de discussões sobre projetos, mods e clones é gigante.

 

Boa leitura 🙂

Achados do Gambiarras

Um amigo e guitarrista recentemente me passou o site que hoje compartilho com vocês. O blog Guitarra Inteligente possui um conteúdo muito completo e totalmente autoral, atualizado semanalmente, com ótimas dicas que vão desde a regulagem à escolha de equipamento e curiosidades diversas do mundo da guitarra. Recomendo a leitura da recente publicação sobre retentores de cordas.

Divirtam-se

Guitarra Inteligente

Achados do Gambiarras

O Achados Do Gambiarras este mês está mais do que especial. Tive o prazer de descobrir o blog logo no início e fui sempre acompanhando, até o dia em que me chegou uma guitarra nacional antiga que num futuro próximo postarei aqui.  O site pertence ao camarada William de Oliveira, um colecionador de guitarras. Mas não é uma coleção qualquer. Ele coleciona stratocasters (!!!) e coloca no site muitas informações. Por ser colecionador, ele acabou garimpando os melhores modelos nacionais e desenterrando histórias e informações que muita gente desconhece. Eu falo do blog “Guitarras de um Strateiro”.

10841277_743398842408967_296430272_n

No meio de tanta informação, entrei em contato com o William e começamos a conversar. Como resultado de tanta conversa, fica aqui uma entrevista muito bacana que fiz com ele:

Quando começou a sua coleção de guitarras?

Primeiramente, gostaria de agradecer a oportunidade de poder contar essa história e também parabenizar o Francisco por suas contribuições com seu blog de gambiarras e dicas. Eu comecei a coleção mais precisamente no início desse ano, quando me dei por conta que já tinha em torno de uns 5 instrumentos musicais adquiridos ao longo de 2013 e na maioria minha preferência era por adquirir as Fender Stratocaster, então me dei conta de que estava nascendo uma tendência: acumular Stratos! Eu confesso que fui levemente influenciado por alguns amigos colecionadores de instrumentos musicais, por ficar fascinado com as guitarras e por toda aquela devoção por suas coleções. O problema é que descobri que era praticamente impossível ser brasileiro e colecionador de Fender, por isso tive que abrir mão da ideia inicial (que era colecionar apenas Fender) e passei a adquirir outros instrumentos brasileiros e de outras nacionalidades. Eu procurei muitos sites e blogs pela internet e descobri vários colecionadores de Stratocasters no mundo inteiro, especialmente nos Estados Unidos, em sua maioria colecionadores de Fender.

Por que colecionar strato?

A Stratocaster é o modelo de maior influência (juntamente com a Les Paul e a Telecaster) entre os guitarristas nos quatro cantos do mundo. A Fender revolucionou ao fazer história nos anos 50 quando teve a ideia de inovar com a criação do conceito da Stratocaster, nascia assim um ícone da história do Rock. Com ela, grandes nomes de influência mundial fizeram com que a Stratocaster se tornasse imortal: de Jimmi Hendrix a Jeff Beck, Stevie Ray Vaughan a Yngwie Malmsteen, de David Gilmour a John Frusciante, de Mark Knopfler a John Mayer, entre muitos outros. A ideia de colecionar Stratos era muito tentadora, infelizmente nunca encontrei ninguém no Brasil que desse prioridade apenas as Stratos.

10822389_743399609075557_210609373_n

Como surgiu o blog?

O Blog surgiu com a ideia de compartilhar as fotos e características de cada uma dessas guitarras e um pouco do que eu aprendi com esses instrumentos. Não me arrependo por ter criado, com ele ajudei muitas pessoas a garimpar informações sobre seus instrumentos pessoais, além de ter feito vários amigos. Eu já tinha um Blog sobre Fender que mantinha desde 2012, desativei para poder centrar esforços apenas nesse, criado em Março de 2014. É legal poder ver que pessoas de várias partes do mundo acessam minhas informações, inclusive publicando o blog em fóruns gringos. Surpreendentemente, as postagens de maior sucesso foram sobre a Dolphin da era Carlos Assale, a Golden Stratocaster dos anos 80 e a Fender Southern Cross.

Qual a guitarra preferida?

A minha Stratocaster preferida é a Fender Reissue 1957 – Made in Japan (1989). Posso dizer que se trata de um instrumento da época de ouro das Fenders construídas no Japão, incrível o timbre que consigo tirar com esse instrumento. A tocabilidade e conforto do braço são surpreendentes, uma réplica perfeita dos instrumentos construídos em solo americano em meados dos anos 50, sem dúvidas é a melhor guitarra dos instrumentos do meu acervo, pois apresenta o conceito mais nobre, puro e elevado de uma Stratocaster. Objeto de desejo pela maioria dos “Stratoboys”, a Fender reedição japonesa dos anos 80 faz parte da safra considerada por muitos como as melhores Stratos já produzidas pela Fujigen.

10822155_743399332408918_110535297_n

 Qual a strato nacional preferida?

A Strato nacional preferida é sem dúvidas minha Golden 80’ Sunburst, ela é montada no Brasil, mas certamente as madeiras são orientais, ela tem o corpo em Alder oriental (inferior ao Alder Canadense) e braço em Maple também oriental. A construção dela foi bastante copiada da Fender, mas o hardware dela é bem simples, é preciso melhorar cada uma das peças para ela ficar apresentável. Além dela, a Tagima construída nos anos 80 em Mogno e escala em Jacarandá também é muito boa, o Seiji Tagima tinha uma Fender 60’ e não duvido nada que ele tenha buscado “inspiração” nesse modelo, nada dessas Tagimas em Marupá construídas nos anos 90 na fábrica, me refiro as primeiras que ele construía em sua oficina, ao melhor estilo “fundo de quintal”. As Fender Southern Cross construídas pela Giannini em Cedro e as Dolphin Stratocaster dirigidas pelo Carlos Assale e construídas em Mogno, também são legais.

 Qual o número máximo que você quer chegar de stratos na sua coleção?

Na verdade não tenho pretensão de atingir um número máximo, até porque é preciso ter espaço para poder armazenar essas preciosidades. Os cuidados necessários para manter a saúde dessas guitarras me custam a maior disponibilidade para dar atenção a cada um dos exemplares, me interesso muito por dicas de preservação e manutenção desses objetos. Confesso que, se fosse para chutar um número, gostaria de ter em torno de 100 instrumentos bem conservados e catalogados para poder algum dia montar e organizar uma exposição ao público.

Fica aqui a dica para quem gosta de uma strato:

Guitarras de um Strateiro

 

Achados do Gambiarras

O site que indico este mês trata-se do Guitar FX Layouts. Mais direto impossível. O site tem muitos esquemas de pedais com layout para montar em protoboard. Facilita muito a vida de quem quer montar como um protótipo para ver se gosta e depois encarar a construção em uma placa mais profissional. É muito comum construir pedais definitivos nestas placas que são fáceis de encontrar e baratas. O site ainda conta com um Forum e loja com kits para montar diversos pedais.

Para você que gosta de montar ou de fuçar esquemas não tão “clássicos”: Guitar FX Layouts

Achados do Gambiarras

livro

Hoje o achado não vem em forma de site. O livro Improvisando Soluções de Roberto Muggiati traz uma interessante visão da vida do Jazz contada por histórias individuais de músicos emblemáticos mostrando a fusão das suas vidas com as obras que deixaram ao mundo. Voltado para o público em geral, o livro traz passagens engraçadas e detalha os caminhos e a evolução musical que o Jazz sofreu ao longo dos anos. Apesar de não ser uma obra de teoria musical, conta de uma forma muito clara as nuances e características melódicas de cada músico abordado pelo livro. Fica mais uma dica. Leia o livro perto de um computador, pois é fantástico ir procurando vídeos e músicas das situações contadas pelo autor. Uma verdadeira viagem musical!