Dissecamos o Gamba!

front

É sempre com alegria que coloco neste espaço produtos nacionais que trazem orgulho para o nosso país. Não é o primeiro e com toda a certeza não será o último. Hoje o blog traz o amplificador Gamba desenvolvido pela empresa Gato Preto Classics que aposta em produtos totalmente valvulados, com respeito e inspirado no antigo com projetos totalmente originais. Além da eletrônica ser toda de autoria própria, o design exterior também é pensado para ter uma identidade única.

Assim nasceu um dos produtos da GPC, o Gamba com as seguintes especificações:

30 Watts ou  15 watts

Válvulas de Potência: 2 x KT77 ou 2 x 6L6

Válvulas de Pré: 2 x ECC83S, 1 x EF-86

Entradas: Low e High – Saídas: 4 ohms / 8 ohms / 16 ohms

Voltagem: 110 ~127V / 220 ~ 240V

Controles: Volume, Bass, Mid, Treble, Freq.(Presence), Pepper (Gain)

Loop de Efeitos Valvulado com controle de MIX

head

Uma das coisas mais bacanas é o desenho inspirado em um rádio valvulado antigo, com traços modernos arredondados e um acabamento em uma folha de madeira muito bem finalizada. Em um primeiro olhar parece antigo, mas rapidamente vê-se que é algo novo e com um acabamento contemporâneo impecável. O chassi recebe uma serigrafia bonita e divertida. Alguns controles possuem nomes pouco usuais, o que deixa o amplificador ainda mais descolado. Como exemplo o Stand By, que quando ativado não fica “on” e sim “fun”.

A chave 30w/15w é muito útil não apenas por uma questão de potência, mas a resposta sonora muda bastante, principalmente para quem tem a oportunidade de tocar o bichano bem alto.

A equalização é bastante sensível e te ajuda a encontrar uma gama enorme de combinações e sonoridades possíveis. O som limpo é um dos mais belos que já ouvi e faz jus à citação “entupido de harmônicos” presente no site da marca.

O drive é tímido, de baixo ganho, mas muito robusto. Bonito para solos de jazz e blues mas para bases não achei tão versátil e ainda prefiro um pedal de overdrive ou mesmo um clean boost para dar uma empurrada no do amplificador mesmo.

head back

Na parte traseira encontram-se as três saídas para alto-falante nas três impedâncias citadas anteriormente.

Os primeiros modelos vinham com uma saída de linha, que nesta versão mais recente foi eliminada e deu lugar ao footswitch que permite trocar entre limpo e o controle de ganho que gera o overdrive.

Um loop paralelo passivo com controle de MIX fecha a festa trazendo a possibilidade de utilizar efeitos moduladores como Delay e Reverb.

Bivolt, tem chave para escolher a tensão da rede e a conexão é feita por uma tomada tripolar de painel muito comum em computadores e que traz junto o fusível.

O amplificador não poderia passar pelo blog sem mostrar a sua alma e beleza interior.

Interna

Construído com componentes de alta qualidade como Orange Drops, Silver Mica, Xicon Polypropylene, resistores Metal Oxide. As placas em fibra de vidro de alto padrão com todos os soquetes soldados diretamente fazem da montagem algo muito clean com poucos fios dentro do aparelho. É daqueles raros circuitos que você abre e diz “não tem nada para melhorar aqui” e volta a fechar. Uma produção de primeira que não só compete como bate muitos amplificadores importados que já passaram por aqui. Por ser uma construção toda baseada nas placas, ficou muito compacto e silencioso. O aterramento que se pode fazer em uma placa dupla-face dá um resultado incrível no nível de ruído natural de um amplificador. Quando não se toca nada o bicho fica mudo.

O danado conta ainda com mais uma particularidade. Feito com polarização catódica, dispensa o ajuste de bias. Qualquer um pode substituir rapidamente as válvulas de potência deste amplificador.

Para quem compra o conjunto Cabeçote + Gabinete recebe instalado o FAT12, um alto-falante projeto próprio da GPC.

falante

No conjunto vem tudo o que é necessário para o amplificador funcionar, menos a guitarra. 😛

Um cabo profissional Tecniforte para a conexão Head-Caixa faz a ligação campeã que deixa todo mundo feliz. A caixa pode ser utilizada fechada ou aberta, vai do gosto e necessidade de cada um. Por ter um acabamento tão bonito e delicado o amplificador fica sensível a batidas e quedas. A GPC produz e manda junto capinhas de nylon com zíper para facilitar o transporte.

back

Conclusão: Um amplificador totalmente nacional, desenvolvido com bastante carinho e com uma sonoridade muito particular. Não dá para dizer som do quê ele tem. Tem som de Gamba, e é muito bom!

Para quem procura um amplificador parceiro para ensaios, gravações e shows este será um grande companheiro.

Que o mercado nacional continue acreditando, mesmo com tantas dificuldades, e oferecendo aos guitarristas brasileiros o melhor pois nós merecemos. glass

Para fechar um humilde vídeo do Gamba em ação:

Anúncios