Ceriatone – Overtone Special

Montar amplificadores de guitarra é algo viciante, e a saga começou ainda no final do ano passado em Novembro de 2021, quando viajamos de carro, eu e o meu amigo guitarrista Giacomo Ghezzi até Nuremberg para testar alguns amplificadores Two Rock que tinham acabado de chegar em uma loja da cidade.

BTM Guitars – Nuremberg – Alemanha

Concordamos que os amplificadores eram realmente sensacionais, ao melhor nível de equipamento de butique que o dinheiro pode proporcionar.

O que não concordamos é no fato de (naquela época) apenas um head de 35w custar 3500 euros.

Infelizmente o preço não para de subir.

Como podem ver no blog, já fiz alguns amplificadores anteriormente e decidi que seria sim possível construir algo com alta qualidade e ainda mais fiel ao objetivo inicial.

Os amplificadores Two Rock são baseados nos Dumble e são considerados uma alternativa para quem não tem a menor condição de andar em leilões disputando um por lances iniciais de 100 mil dólares.

Na nossa análise após testar esses amplificadores, entendemos que são baseados, mas muito modificados pois os controles são diferentes dos modelos clássicos Dumble e contam com uma série de alterações como reverb e diferentes níveis de overdrive.

Obviamente essa foi a nossa impressão, e também a nossa opinião.

Outra marca que tive a oportunidade de testar em outra ocasião foi a Amplified Nation, que faz clones mais fiéis e com base nisso também concluí que havia ali muita modificação na ideia original.

Com isso, comecei a estudar a possibilidade de montar um Dumble-Like com características mais fiéis ao original, componentes de alta qualidade e um toque pessoal na construção com as técnicas que gosto de aplicar nas minhas montagens.

Considerando os custos, os kits sejam eles quais forem ainda são imbatíveis e apenas existe uma empresa fazendo kits Dumble, a Ceriatone.

Uma empresa da Malásia especializada em amplificadores de butique e que além de vender amplificadores prontos, também vendem partes e kits para quem tem vontade de montar.

Infelizmente comprar o amplificador pronto é insano pois além dos custos altos de transporte, a fila de espera é de 11 meses pois são todos feitos manualmente por encomenda.

Eu queria mesmo é montar, então decidi ir apenas para o kit sem válvulas e sem gabinete, apenas o chassis.

O modelo escolhido foi o Overtone Special, que trata-se do Overdrive Special, na sua versão 50w, muito popular e utilizado por guitarristas como Robben Ford e Joe Bonamassa.

O amplificador além de ter um clean incrível e super cheio, mesmo em altos volumes não satura.

O overdrive é muito polido e pode chegar até uma distorção com ganho considerável.

Todos os componentes são de alta qualidade e ao contrário de outras marcas que vendem kits, as placas já estão pré montadas e é mais uma questão de fazer toda a parte de ligação de fios e componentes que necessitam de montagem ponto a ponto.

Os transformadores já vieram instalados, mas no caso do de potência foi necessário inverter para ficar de acordo com o diagrama disponibilizado pela marca.

O primeiro passo foi instalar todas as placas e começar a organizar toda a fiação para soldar nos lugares corretos, mas também passar pelos lugares corretos. Em um amplificador valvulado qualquer coisa dá ruído e a organização dos fios é crucial.

Tudo instalado, é hora de começar com as ligações nos soquetes. Normalmente gosto de começar com as válvulas de pré pois toda a parte de potência requer mais componentes ponto a ponto e o trabalho é maior. Prefiro chegar nessa etapa com menos fios para que tudo fique bem organizado.

Assim que a parte de pré ficou finalizada, iniciei os trabalhos na parte de potência em que muitos componentes ficam suspensos e são soldados diretamente nos soquetes, potenciômetros etc…

Toda essa primeira etapa foi na parte traseira onde estão localizadas as válvulas e após finalizado foi o momento de iniciar todas as ligações no painel frontal.

A última parte foi a fonte de alimentação que é um pouco complexa pois são três placas diferentes. Uma para alimentação dos relés, outra para a parte de bias e uma para a alta tensão.

A última coisa que sempre faço nos amplificadores por uma questão de praticidade é a ligação dos filamentos. Feito isso, tudo certo para o primeiro power up e ver se tudo está dentro do que se pretende.

Amplificador finalizado e funcional

O primeiro power up faço sempre sem válvulas para medir todas as conexões e verificar se existe algum erro. Passado no teste inicial é hora de colocar as válvulas.

O set escolhido de pré e power são da Tube Amp Doctor da série Premium, marca que tenho trabalhado nos últimos anos e os resultados são sempre incríveis.

Os modelos escolhidos são:

3x Preamp (12AX7) RT010 Tube 7025 Highgrade
2x Power 6L6GCM-STR Redbase

Válvulas instaladas, hora de fazer um teste rápido e um pré ajuste de bias.

Após um pré ajuste de bias para um nível seguro, o próximo teste é verificar o som e por último se todos os controles e funções estão funcionando corretamente.

Foi uma construção 100% do início ao fim, sem erros. Tudo funcionou legal e parti para um ajuste fino de bias e depois disso o amplificador ficou em teste por algumas horas, sempre verificando todas as tensões correntes nos intervalos.

O tempo de construção do circuito foi de aproximadamente duas semanas, pois fiz com muita calma e apenas nos dias livres em que estava descansado. Trabalhar nesse tipo de projeto com pressa ou cansaço é a receita do desastre então recomendo sempre ir devagar.

O circuito em si na verdade ficou pronto e funcionando em fevereiro, mas o projeto apenas foi finalizado em agosto, quando todas as partes necessárias chegaram.

Como indiquei no início do post, peguei o menor kit e faltavam todos os gabinetes de madeira.

A empresa responsável por fazer todos os gabinetes de madeira foi a Tube-Town e o tempo de espera varia entre 2 a 4 meses em alguns casos.

Havia a possibilidade de fazer a versão combo, mas o peso final do amplificador seria absurdo, mais de 40kg.

Esse peso todo deve-se ao fato de só o falante ter 8.6kg. E por falar nele, o modelo escolhido foi o mesmo recomendado originalmente pelo Dumble e trata-se do Electro-Voice EVM 12L Classic 8 Ohm – 200w. O falante era algo sempre do gosto do cliente, mas era essa a sugestão do fabricante. Além de uma sonoridade incrível, é muito útil para utilizar com outros amplificadores pois 200w de potência é muita coisa e dá pra ligar uma infinidade de cabeçotes diferentes nele. Tem uma performance extremamente linear e responde muito aos ajustes nos botões do amplificador.

Por falar em ajustes, esse modelo é um dos amplificadores que toquei que possui a melhor resposta. Todos os controles no painel possuem uma atuação muito evidente e boa parte da mágica desses amplificadores está aí. Qualquer guitarra soa bem e pode ser timbrada nesse amplificador. Revelou o melhor de cada uma das minhas guitarras e também aceita muito bem todos os pedais que foram testados.

No meio da construção infelizmente soube da morte do criador dessa máquina, o que me deu tristeza e ao mesmo tempo um sentimento legal de mesmo se tratando de um clone nunca deixar a história morrer.

Em uma visão geral, fiquei encantado com o resultado pois além de um timbre incrível, o amplificador é extremamente silencioso.

Custou muito menos que um Two Rock e me deixou satisfeito. O meu amigo Giacomo que participou ativamente de toda a saga tem a mesma opinião e o resultado final foi o mesmo, um amplificador de alto nível.

Ele me ajudou também na gravação do vídeo de demonstração do amplificador.

Espero que gostem!

Ficha técnica:

Microphone Shure SM57

Recorder Tascam DR-44WL

Gibson Les Paul Standard 2005
Pickups:
Bridge – Seymour Duncan 59 Custom Hybrid
Neck – Custom made Duncan 59 / Duncan Jazz.
Ernie Ball Strings 0.09

Fender 1960 Custom Shop Stratocaster Fiesta Red NOS AA, (May 2022)
Pickups:
Custom Shop 60s with RWRP
Fender Strings 0.10