Limpo ou distorção?

Limpo ou distorção?  Eis a questão!

amp

Com a efervescente evolução tecnológica, tanto os sons que ouvimos como os equipamentos que temos acesso são forrados de recursos e efeitos. Criou-se uma ideia que guitarra só é guitarra quando se liga uma distorção.

É incontestável a importância que a saturação teve na história da guitarra e da música, mas o peso que teve o som limpo é ainda maior. Sem ele acordes, nuances e levadas rítmicas sincopadas não teriam o mesmo sabor. E isso não se limita ao terreno do Jazz ou do Blues. No Rock  até nas variações mais pesadas o som limpo sempre se fez presente.

O guitarrista aprende a tocar com o som limpo, não é mesmo? Bem, ao menos é assim que deveria aprender e nem sempre acontece.

Através do som limpo podemos conhecer o instrumento, como dominá-lo, compreender a duração das suas notas, a noção de afinação, e claro, descobrir o seu verdadeiro som.

Costumo dizer que uma guitarra só precisa de duas virtudes para me encantar. Uma afinação precisa e constante,  um som limpo bonito, equilibrado em toda a escala sem perder as características básicas do seu corte e construção.

Não é preciso abdicar de forma alguma da distorção ou dos leves e aveludados overdrives, mas na busca pelo timbre perfeito é preciso abrir um pouco mão do ganho para se chegar onde deseja. É muito mais cômodo para os ouvidos e fácil para as mãos o sustain e envolvência que a saturação traz, mas esse exagero mascara muito o potencial do instrumento e também a habilidade do músico.

Muitos guitarristas virtuosos que usam e abusam das distorções pesadas também precisam do som limpo na hora de calibrar o som. É aí que entra uma dica antiga e muito útil. A utilização de dois amplificadores. Um com distorção, outro limpo. A mistura destes dois sons, ajustada pelo ouvido do guitarrista, traz como resultado um som brilhante, cheio de detalhes e engana o ouvido tirando aquela sensação de distorção embolada. Isso também enaltece o timbre natural do instrumento, que como disse anteriormente é muito mais evidente quando tocamos com o som limpo.

Como a vida não está fácil pra ninguém, comprar dois amplificadores de qualidade para fazer essa brincadeira é algo fora de questão para a maioria dos guitarristas. Existem pedais de distorção e overdrive que trazem a função “mix clean”, mas também pode-se obter um resultado muito aproximado com outros pedais de mistura de efeitos como o Morley Twin Mix:

twin mixPara quem curte sons mais calmos, fica a dica de tocar mais vezes tudo o que você já toca, mas desta feita com pouca ou até nenhuma saturação. Você vai se descobrir outro músico, com outro instrumento. É uma evolução do fim para o começo.

Não se boicote, não mascare a sua arte.

Limpe um pouco a sua mente, um pouquinho mais o seu som e redescubra a sua música! like

Anúncios

O seu comentário aqui

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s