Plugins VST

Sempre que começo o papo com algum colega amante das guitarras o assunto gira e sempre acabamos por falar sobre tecnologia e novas soluções para as guitarras. A conversa sempre acaba atravessando e chegando nos plugins. A maioria, para não dizer todos os guitarristas que converso, já tentou em algum momento utilizar plugins e são quase sempre as mesmas queixas como a latência, ruídos e qualidade do som que antes de qualquer coisa devemos lembrar que é simulado. Antes de chegar nos plugins temos que considerar dois aspectos fundamentais:

Interface: É logo aí que começam os problemas de latência. De nada adianta ter o plugin rodando bonitinho e ligar em uma placa convencional de computador. É fundamental ter uma placa que suporte a tecnologia ASIO para reduzir a latência a níveis que o ouvido humano não se importe muito (5ms a 11ms). Sem uma placa apropriada a latência dificilmente será menor que meio segundo, o que já faz do uso do plugin algo impraticável. A graça do plugin é tocar em tempo real. Já vi quem use o plugin depois da guitarra gravada limpa, mas não fica a mesma coisa pois ouvindo na hora você consegue por no toque a dinâmica que aquela simulação oferece. Dá para tapear mas não tem graça.
Uma placa que sempre recomendo para quem quer começar com os plugins é a M-Audio Fast Track USB:

Ela já suporta ASIO e tem também entrada para microfone balanceada e com 48+ para microfones de condensador. Só tem um canal, mas dá para fazer altas coisas com ela em um home studio. Ela também tem saídas de linha para monitores de estúdio. Em relação aos ruídos, não preciso dizer que além de uma boa interface é necessário utilizar bons cabos, o instrumento com a parte elétrica em dia e ter um sistema de aterramento bem feito ligado a todo o sistema.
Outra opção é comprar uma interface própria para estes plugins vendida pela empresa Native Instruments que desenvolve o Guitar Rig e que é bem compacta:

Existe ainda uma interface da mesma empresa que oferece a versatilidade de ligar a guitarra e tocar com plugins no seu iphone:

Quanto muito acho bem bacana, mas só para brincar mesmo. Nunca toquei em um, mas algo muito miniaturizado não me chama a atenção. Não sei se existe alguma restrição nesses hardwares para usar em plugins de outra marca, mas pela dúvida eu ainda fico com a M-Audio.

Qualidade do som: Os plugins são simulações de equipamentos clássicos que evoluíram muito e tiveram as contribuições de tecnologias como a de “convolução” que firmaram a sua posição no mercado. Os guitarristas normalmente são puristas e não conheci um que tenha dito que um plugin faz o mesmo que um equipamento real. Eu também sou bastante cabeça dura no assunto mas não nego o quanto facilitaram a minha vida. Uso muito para estudar, tocar sem atrapalhar os outros e gravações em que o foco não é o timbre perfeito ou ainda quando quero brincar com algum equipamento que não tenho a menor hipótese de ter em mãos. Não é a mesma coisa mas dá para ter uma noção de como é. Em estúdio facilita muito as coisas para gravar linhas limpas e efeitos de modulação. Os overdrives tapeiam, as distorções não convencem, principalmente as de alto ganho. Por enquanto não conheço nenhum plugin de guitarra realmente apetrechado. As marcas investem no desenvolvimento de ferramentas para produção musical em geral e chegam até a criar hardware próprio para processar os plugins e torná-los tão rápidos e fiéis quanto os equipamentos físicos:

Agora é esperar que invistam assim na guitarra, o que não deve faltar muito. 
 Não vou falar de todos os Plugins de guitarra que existem e certamente eu não conheço nem a metade, mas indico aqui o Guitar Rig e o Amplitube:
São os campeões de vendas. Gosto mais do amplitube e senti um cuidado maior na simulação dos amplificadores e pedais antigos. O Guitar Rig gosto muito das opções de reverb, delays e para tocar sons mais “pesados”, mas mesmo assim as simulações de ganho alto não me convencem como já falei antes.
Posso ficar dias falando sobre isso, mas recomendo aos interessados que tentem tocar em algum lugar com plugins e tirem as suas conclusões. Eu gosto e me resolve vários problemas. Moro em apartamento, amo os valvulados mas tenho a consciência que não sou o único morador do prédio e prefiro não comprar briga com os vizinhos. Para finalizar, vale lembrar que os plugins casam bem com pedais “de verdade” e dá para fazer altas coisas. Uso muito para gravar samples de guitarras e pedais sem esquentar muito a cabeça com microfone e tal.
Que tal um dia uma jam session virtual?
Um abraço!

Anúncios

O seu comentário aqui

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s